Mantenha-se conectado:
Twitter
Youtube
Instagram
Facebook

A importância da medicina veterinária no serviço público foi tema de audiência na Câmara

A Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos dos Animais, coordenada pelo vereador Sandro Pimentel (PSOL) discutiu na manhã desta quarta-feira (30) sobre a importância da medicina veterinária no serviço público de saúde. Dados do Ministério da Saúde apontam que mais de 70% das doenças de notificação compulsória, ou seja, aquelas em que é obrigatória a notificação às autoridades de saúde [como dengue, zika, leishmaniose, malária, entre outras] são transmitidas por animais, o que torna necessária a atuação dos veterinários no combate às doenças.

Neste sentido, o Secretário do Conselho Regional de Medicina Veterinária, Jose Arimateia da Silva, explicou como é importante a presença do veterinário no sistema básico de saúde, atuando especialmente na prevenção. “Não se faz saúde pública com um único profissional, nem só com medicamentos. Saúde pública é preventiva e é aí que entra o veterinário. O médico trata a doença e o veterinário previne a doença. Não temos esse profissional no NASF (Núcleo de Apoio à Saúde da Família) de Natal.  Precisamos que a medicina veterinária esteja presente, contribuindo para a saúde pública”, destacou.

Para o diretor do Núcleo de Vigilância de Reservatórios e Animais Amplificadores, do Centro de Controle de Zoonoses, Ciro Fagundes, o número reduzido de profissionais veterinários acaba sobrecarregando-os em diversas funções. “Há uma escassez de veterinários no sistema de saúde. Há necessidade de muito mais profissionais. O mesmo profissional acaba acumulando varias funções na área de saúde publica. Natal está muito aquém do que precisaria. Precisamos de um trabalho a quatro mãos dos outros profissionais de saúde conosco.

O vereador Sandro Pimentel destacou como o debate, que contou com a presença de diversos profissionais da área, militantes da causa animal, além de representantes da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur) e do vereador Franklin Capistrano (PSB). “Tivemos um conceito mais aprimorado da importância do médico veterinário ouvindo quem pode relatar sobre a falta desses profissionais no sistema de saúde”. Ele também reclamou dos castramóveis que já dispõem de recursos para funcionar. “Os castramóveis estão parados há um ano e um mês. “Tem o recurso para comprar insumos, a prefeitura não utilizou, o Ministério Público ajuizou para bloquear esses recursos na ordem de R$ 300mil. A UnP (Universidade Potiguar) doou os instrumentos para a realização das cirurgias. Já deveriam ter sido feitas cerca de 15 mil castrações em Natal. Não está faltando nada para funcionar, mas o prefeito parece não entender a importância da causa animal para a saúde pública”, reclama o vereador.

Confira a audiência pelo canal da TV Câmara Natal

Texto: Cláudio Oliveira (Assessoria da Câmara Municipal de Natal)
Foto: João Victor